ESPERO QUE VOCÊ POSSA UTILIZAR DA MELHOR MANEIRA POSSÍVEL,
TODO CONTEÚDO DISPONIBILIZADO NESTE BLOG!

Por gentileza, não copie nada deste blog! Ninguém está autorizado a copiar ou reproduzir em outros blogs o que é postado aqui, sem prévia autorização! Antes de usar textos e trabalhos divulgados aqui em seu blog, fale comigo :)! Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do código penal. Conheça a lei Lei 9610.
DMCA.com Protection Status

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

27 de maio de 2015

ESPECIAL FESTA JUNINA

Olá queridos amigos!

Mês de junho chegando! Vem aí as Festas Juninas!  E para facilitar as pesquisas relacionadas ao tema,  reuni nesta postagem, tudo relacionado ao tema junino que já foi publicado aqui no Blog! Lembrancinhas, atividades, modelos de convites e cartões e muito mais!

Espero que gostem e que encontrem o que procuram!

10 de maio de 2015

FELIZ DIA DAS MÃES!

Mãe é vida, mãe é amor, mãe é fortaleza, é sensibilidade, por mais que tentamos, nunca conseguiremos dar todos os adjetivos que uma mãe deve receber no dia de hoje.

Hoje é dia de quem ama, sofre, chora e quando chega o entardecer, já está de pé novamente num sorriso que fascina, e nos mostra o quanto é forte, exatamente como elas são e não deixar que nada a derrube.

Ser mãe é poder ter o maior dom que Deus pode dar, que é o de gerar vidas. Parabéns por ser diferente, por ser essa pessoa maravilhosa, por ser o motivo de orgulho dos seus filhos.

Feliz dia das mães!


29 de abril de 2015

PROJETO : RESGATANDO BRINCADEIRAS DE ONTEM E HOJE

Brincar com criança não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los, sentados enfileirados, em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


PROJETO : RESGATANDO BRINCADEIRAS DE ONTEM E HOJE


PÚBLICO ALVO: ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL.

DURAÇÃO: O PROJETO SERÁ DESENVOLVIDO DURANTE O RESPECTIVO ANO LETIVO.

JUSTIFICATIVA:
Brincar é uma atividade própria da criança. As brincadeiras refletem o modo de construir o mundo pelas crianças.
Através delas, as crianças podem interpretar, a seu modo, o mundo a sua volta, resolvendo conflitos internos, que elas pouco entendem. Brincando elas reproduzem e criam situações concretas, imitando o comportamento, as ações e/ou profissões (brincando de casinha, de mamãe e filhinha, de professora, motorista, etc) de adultos próximo a elas, buscando entender os seus comportamentos e atitudes.
Portanto, para as crianças brincar não é apenas um passatempo. Seus jogos simbólicos, ou de faz de conta, estão relacionados com um aspecto fundamental: a percepção de tudo que as rodeia e o seu conhecimento do mundo através das suas próprias emoções. Por meio das brincadeiras, cada criança cria uma série de questionamentos a respeito da vida e do mundo, as mesmas que mais tarde, quando já estiver adulta, voltará a descobrir e ordenar, fazendo uso do seu raciocínio.
A criança é um ser ativo e traz consigo algo que é inerente da própria infância, que é a necessidade de movimentar-se, de comunicar-se, seja através da linguagem, seja através das brincadeiras.
Desta forma, resgatar brincadeiras antigas e atuais e utilizá-las como ferramenta pedagógica no âmbito escolar, é de fundamental importância, é uma estratégia didática, que o professor não pode abrir mão. O brincar possibilita à criança o desenvolvimento cognitivo e social, além de propiciar a construção do conhecimento e do desenvolvimento psicoemocional. O tempo que a criança passa brincando, é um período que contribui  para o seu bem-estar e para suas experiências futuras. É uma oportunidade  para que ela aprenda sozinha e erre sem ter medo ou se constranger neste fato, e sinta confiança em tentar novamente, concomitantemente, é um momento em que elas podem desenvolver habilidades intelectuais,  cognitivas, emocionais importantes, como: a atenção, a imitação, a memória, criatividade, memorização e imaginação, entre outras. Amadurecem também algumas capacidades de socialização, cooperação e companheirismo por meio da utilização, interação e experimentação de regras e papéis sociais diversos.
As brincadeiras possibilitam a exploração das próprias possibilidades e livre expressividade da criança, além da descoberta do mundo a sua volta em todos os aspectos; elas ainda favorecem um alívio, uma descontração para as  dificuldades emocionais, sentimentos confusos e conflitos internos, além de diminuir e até mesmo acabar com a agressividade, fortalecendo a autoestima e a segurança.
A realização deste projeto justifica-se pelo fato de que brincar, independentemente da cultura ou da década, traz benefícios que podem auxiliar no dia-a-dia do educador e da criança na escola, já que brincar é uma atividade fundamental para a vida, para a formação e o desenvolvimento do ser humano, em qualquer idade ou época.


OBJETIVOS GERAIS:
  • Resgatar  brincadeiras antigas e atuais que fazem parte da cultura brasileira;
  • Despertar e estimular o prazer pelo ato de brincar;
  • Despertar o interesse da escola pelo uso das brincadeiras como ferramenta pedagógica, a ser usada como forma de conhecimento e aprendizagem;
  • Criar um ambiente de acolhimento que dê segurança e confiança às crianças.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
  •  Favorecer, estimular e ampliar o repertório de brincadeiras infantis;
  • Participar de variadas situações de comunicação e socialização;
  • Desenvolver a criatividade e o raciocínio;
  • Propiciar a participação em brincadeiras de regras e de grupos;
  • Despertar o interesse e a curiosidade pelas manifestações culturais e artísticas.

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:

Linguagem Oral e Escrita:
  • Participar de variadas situações de comunicação oral, para interagir, expressar-se e relatar suas vivências nas diversas situações do cotidiano;
  • Incentivar e permitir a fala da criança em todas as atividades e brincadeiras possíveis, ampliando desta forma, seu vocabulário, utilizando as músicas e as brincadeiras que despertem a fantasia da criança;
  • Estimular o uso da linguagem oral para conversar e brincar;
  • Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da escrita.
Movimento:
  • Familiarizar-se com o próprio corpo;
  • Explorar as diversas possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação;
  • Deslocar-se com destreza progressiva no espaço ao andar, correr, pular, rolar, engatinhar, saltar, arrastar-se, etc, desenvolvendo atitude de confiança nas próprias capacidades motoras.
Natureza e Sociedade:
  • Estimular a participação em brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos;
  • Estimular a participação e interesse em situações que envolvam a relação com o outro;
  • Escolha de brinquedos, objetos e espaços para brincar;
  • Utilização com a ajuda do professor de diferentes fontes para buscar informações como pesquisas, entrevistas, etc;
  • Respeito às regras simples de convívio social.
Música:
  • Participar de variadas situações que integrem músicas, brincadeiras rítmicas e movimentos corporais;
  • Participar de variadas situações de jogos e brincadeiras que envolvam a dança e/ou a improvisação musical;
  • Estimular a memorização de pequenas músicas, brincadeiras, gestos e rítmos;
  • Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais.
Artes:
  • Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando as suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artísticas;
  • Manipulação de materiais diversos e atividades que propiciem produções;
  • Produções artísticas;
  • Utilização de sucatas com exploração de objetos do ambiente cotidiano;
  •  Utilização de sucatas na execução e participação nas brincadeiras.
Matemática: 
  • Estabelecer aproximações de algumas noções de matemática presentes no dia-a-dia da criança, como contagem, relações espaciais, etc;
  • Utilizar a contagem oral, de noções de quantidade, de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nas quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
Identidade e Autonomia:
  • Relacionar-se progressivamente com mais crianças, com seus professores e com os demais profissionais da instituição, demonstrando suas necessidades e interesses;
  • Brincar;
  • Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo, conhecendo seus limites, sua unidade e as sensações e sons que ele produz;
  • Favorecer a progressiva independência e autonomia, realizando pequenas ações cotidianas, que estejam ao seu alcance;
  • Interesse pelas brincadeiras  e pela exploração de diferentes brinquedos que fazem parte do seu cotidiano;
  • Participação em brincadeiras de “esconder e achar”  objetos do cotidiano escolar e em brincadeiras de imitação e repetição;
  • Identificação das partes do corpo através de músicas, brincadeiras, quebra-cabeças, dramatização (tomando banho) e boneco articulado;
  • Identificação dos órgãos sensoriais através de músicas e brincadeiras.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:
  •  Roda da conversa (Meus brinquedos preferidos! / Do que mais gosto de brincar?);
  • Cartaz com a lista dos brinquedos preferidos;
  • Cartaz com a lista das brincadeiras preferidas;
  • Votação para a escolha de algumas brincadeiras listadas para brincar;
  • Dramatizações;
  • Desenho das brincadeiras preferidas;
  • Desenho do brinquedo preferido;
  •  Pesquisa junto às famílias sobre as brincadeiras da infância;
  • Pesquisa em livros e na internet sobre a origem de alguns dos brinquedos e brincadeiras;
  • Elaboração de textos coletivos;
  • Murais com textos informativos;
  • Murais com fotos dos alunos brincando;
  • Murais de imagens de brincadeiras pesquisadas;
  • Cruzadinhas;
  • Caça palavras;
  • Dia do brinquedo;
  • Parque;
  • Confecção de brinquedos utilizando sucata;
  • Gincana;
  • Gincana com a participação dos pais com os filhos;
  • Oficina de confecção de brinquedos com a participação dos pais;
  • Confecção de livros com o registro das brincadeiras preferidas, juntamente com as suas regras.

MATERIAIS UTILIZADOS:
  • Papéis (sulfite, cartolina, color set, jornal, bobina, crepom, laminado);
  • Palitos de churrasco; garfinhos e pazinhas de madeira;
  • Sucatas (garrafa pet de diferentes cores e tamanhos; tampinhas de plásticos);
  • Tesoura com ponta arredondada;
  • Cola branca e colorida;
  • Cola quente;
  • Barbantes;
  • Lápis de cor;
  • Giz de cera;
  • Giz de lousa;
  • Régua;
  • Computador;
  • Material de sucata: papéis, plásticos e metais;
  • Cd:
  •  Cd room;
  • Rádio;
  • Televisão;
  • Filmes;
  • Fotografias;
  • Blocão;
  • Pintura a dedo;
  • Massa de modelar;
  • Tinta guache;
  • Cadernos, etc.

AVALIAÇÃO:
Além das atitudes, comportamentos e habilidades trabalhadas na escola, devem ser consideradas, também, as formas de expressão e as habilidades que as crianças já possuem e trazem de uma experiência de vida fora da escola e que dentro da mesma, enriquecem muito o seu desenvolvimento, contribuindo de forma significativa para a sua autonomia e identidade.
Para tanto, a avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora, verificando o desempenho dos alunos, as etapas vivenciadas, as dificuldades encontradas, tomando com referência o processo por eles vividos nas diferentes e múltiplas situações.


PRODUTO FINAL:
  • Exposição para os pais dos desenhos, pinturas e brinquedos confeccionados.
  • Exposição de fotos.
  • Exposição dos brinquedos confeccionados pelos pais, juntamente com os alunos.
  •  Livro de brincadeiras, com suas respectivas regras.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Projeto sujeito à flexibilidade, portanto poderá ser mudado ou acrescentado, de acordo com as expectativas da classe.
           
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular para a educação infantil: conhecimento de mundo. Brasília, DF, 1998.

______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: arte. Volume 6. Brasília: MEC/SEF/SEESP, 3ª ed., 2001.

DOHME, Vânia. Jogando: o valor educacional dos jogos. São Paulo: Informal, 2003.

KAMII, Constance. Jogos em grupo na educação infantil: implicações da teoria de Piaget. São Paulo: Trajetória Cultural, 1991.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1994.

_________________________. Jogo, brinquedo, brincadeira e educação. São Paulo: Cortez, 5ª ed, 2001.

LOPES, Vanessa Gomes. Linguagem do corpo e movimento. Curitiba: FAEL, 2006.

MACEDO, Lino de; PETTY, Ana Lúcia Sicoli; PASSOS, Norimar Christe. Aprender com jogos e situações-problema. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

___________________________________________________________. Os jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2005.

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Brincar prazer e aprendizado. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.