Volta às Aulas

QUE ATIVIDADES TRABALHAR NOS PRIMEIROS DIAS DE AULA?

Créditos da imagem:  Pixabay / Katrina_S Os primeiros dias de aula são bastante agitados nas escolas de Educação Infantil. Crianças c...



ESPERO QUE VOCÊ POSSA UTILIZAR DA MELHOR MANEIRA POSSÍVEL,
TODO CONTEÚDO DISPONIBILIZADO NESTE BLOG!

Este Blog é Protegido e Monitorado por:
DMCA.com Protection Status

A ENTRADA NA PRÉ ESCOLA – A ADAPTAÇÃO DA CRIANÇA À ROTINA ESCOLAR.

em 16 de janeiro de 2014


Nestes 13 anos de Educação Infantil, já vi e ouvi de tudo durante o período de adaptação... Já voltei para casa, no primeiro dia de aula, com a canela roxa e duas mordidas (uma em cada braço!) rsrsrs... Já vi mãe se descabelando, barganhando e prometendo inúmeras coisas para que o filho fique na escola, mãe chorando porque a criança ficou bem e nem sentiu a falta dela, mãe que deixa a criança e fica na janela olhando o comportamento da criança, e quando esta vê a mãe na janela e vê que tem mães na classe com seus filhos, começam a chorar porque a mãe não esta ali também...  e por aí vai! 

Com base nestas minhas experiências, resolvi escrever este texto, para ajudar professores e pais a entender o que acontece com as crianças, quando estas começam a frequentar a escola. Tentar mostrar que não é fácil para a criança separar-se de seus pais, mesmo que isto seja por poucas horas, e como estes devem proceder para que a adaptação seja algo positivo e menos traumático para a criança.

Não sou psicóloga, psicopedagoga... sou só uma professora que gosta muito do que faz e que quer o melhor para os seus alunos sempre!

Espero que o texto possa auxiliar pais e professores! O texto é pouco longo, mas vale a pena lê-lo até o final! Quem sabe não é este texto que talvez poderá esclarecer as sua dúvidas! 


A Educação Infantil é uma fase de extrema importância na vida da criança. Tudo o que ela vivenciar nesta etapa servirá de base para todo o restante da vida escolar dela, dependendo de como se deu a sua entrada na escola e de como ocorreu a sua adaptação ao ambiente escolar.

É nesta etapa, o início da fase escolar, que ocorre a primeira ruptura entre os filhos e os pais, e isto, não é fácil para as crianças e nem para os pais. 

Adequar-se a estas mudanças, muitas vezes, causam ansiedade, medo e insegurança em ambas as partes.
 
Quando a criança começa a frequentar a escola, ela vive um momento delicado e tem que lidar de uma só vez, com vários questionamentos que ela pouco entende. Ela precisa aprender a ficar longe, por certo período, do convívio com os pais e a também fazer novas amizades, criando novas relações afetivas, além daquelas estabelecidas com os familiares.

As escolas tornam-se então, um local desconhecido e assustador, pois tudo o que é novo, causa em nós medo e insegurança, o que leva muitas vezes às cenas de birra, choro, manha na porta da escola ou da classe, chegando até mesmo a gerar pânico nas crianças.

O primeiro dia de aula é um momento difícil para crianças e pais. E por isso, ambos precisam de um período de adaptação. As crianças precisam se adaptar a uma situação nova, sairão do ambiente familiar para um ambiente novo e desconhecido, onde irão conviver com pessoas também desconhecidas, que até então, não faziam parte do seu convívio social.  E os  pais  precisam superar a insegurança de ficar longe, por algum tempo, de seus filhos e também sofrem com a ansiedade e o medo da não aceitação dos filhos à nova situação.

O impacto desta separação é fortemente sentido tanto pela criança como pelos pais. A criança se pergunta se todos irão gostar dela, se a professora cuidará bem dela, se a mãe vai voltar e por que a mãe não pode ficar com ela na escola. E os pais ficam preocupados se os filhos ficarão bem sem eles por perto.

Por isso, é importante não esquecer que cada criança tem o seu tempo para se adequar a estas mudanças.

Na grande maioria das escolas de educação infantil, existe o período de adaptação escolar, para minimizar o sofrimento desta primeira separação. Este período é muito importante, pois faz com que a criança vá, paulatinamente, adaptando-se à rotina da sala de aula, estabelecendo vínculo afetivo com a sua professora e fazendo novas amizades. Geralmente, ele é iniciado no ato da matrícula da criança, onde os pais levam a criança para conhecer a escola onde ela irá estudar, ou numa simples visita dias antes do início das aulas. Depois, os pais ou responsáveis, ficam um certo período com a criança na escola. Este tempo vai diminuindo até que ela se sinta segura, tenha apresentado progressivo vínculo afetivo com as outras crianças e professora, conheça o espaço escolar e já se sinta a vontade para brincar e interagir com a professora e demais colegas durante as atividades propostas em sala de aula.

Este período de adaptação varia muito de escola para escola, existem escolas que estabelecem somente a primeira semana de adaptação, outras estendem este tempo para duas semanas. Algumas crianças podem levar mais tempo para se adaptar à rotina escolar, necessitando assim, de um período maior, de três semanas a um mês, para a adaptação escolar, principalmente as mais tímidas e com idades menores.

É importante lembrar que:  JAMAIS SE DEVE ENGANAR A CRIANÇA! Não se pode dizer  à criança que é para ela ficar com a professora, pois a mãe irá ao banheiro ou vai conversar com a diretora da escola; ou mesmo, quando a criança estiver mais calma sair “de mansinho” ou correndo e fechar a porta (acham que é isso é um absurdo? Pois acreditem, acontece!); e tem também aqueles casos que, a mãe deixa a criança chorando e fica escondida espiando na janela, gerando ainda mais insegurança e ansiedade na criança e dificultando o vínculo afetivo entre ela e a professora. E NUNCA dizer que a professora não gosta de criança que chora, que a professora vai dar injeção ou chamar a polícia se a criança não parar de chorar (acham isso uma maluquice??? Pois é, ouvia isso direto!), estas atitudes só servirão para a criança rejeitar ainda mais a situação, e, também ficar com medo e insegurança quando ficar na companhia da professora e dos amigos, sem a presença dos pais.

Os pais devem entender que os filhos passarão algumas horas longe deles, na presença de adultos e crianças que os filhos não conheciam. É fundamental ser claro e seguro nas explicações: eles devem explicar para a criança que ela vai para a escola, onde terá uma professora e amiguinhos novos e que eles ficarão algumas horas longe de casa, mas que no final da aula, eles voltarão para lá! Na minha sala de aula, eu usava sempre o exemplo da bola que bate na parede e volta: dizia que com a mamãe é igual... Ela vai... Mas ela volta!

Há aquelas crianças que se adaptam com mais facilidade, e, nestes casos, não há necessidade da presença dos pais ou responsáveis junto com a criança na escola.

É muito importante ressaltar que, para uma adaptação bem sucedida, a postura dos pais é de grande importância, estes precisam estar SEGUROS da decisão de matricular a criança na escola. Se eles ficarem o tempo todo, perguntando se a criança quer ir a escola, ela irá perceber a insegurança dos pais nesta questão. Lembrem-se: a criança não é capaz de decidir sozinha, ela ainda não tem maturidade para isto!

Outra dica importante é levar em conta e respeitar os sentimentos da criança; não coloque a criança na escola em momentos que ocorreram grandes mudanças familiares como nascimento do irmão, separação dos pais, morte de entes queridos, mudança de casa ou cidade. Nestes momentos, a criança necessita de carinho e atenção e de estar perto dos pais.

Existem crianças que nesta fase, voltam a fazer xixi na cama, chupar o dedo ou chupeta, voltam usar a mamadeira, começam a ter uma fala infantilizada, fazem birra. Mas depois que a criança já se adaptou à rotina escolar, estas atitudes comportamentais desaparecem.

É muito comum, neste início, ocorrer algumas disputas entre a criança e outros coleguinhas de classe por brinquedos, material, folhas, livros, porque até então, tudo era só para ela e agora ela terá que dividir com mais crianças, mas isto também é normal! Muitas  vezes isto pode até gerar um pequeno momento de birra na porta da classe, mesmo naquelas que a adaptação ocorreu com maior facilidade. Outras vezes, a presença da professora substituta na ausência por um ou vários dias da professora, também pode fazer com que a criança não queira mais ir para a escola.   Criança gosta de rotina, é isto que dá segurança a ela! Estabelecer e manter uma rotina dentro e fora da escola, é importante para o bom andamento das atividades, e, o fato da mudança repentina de professora, pode causar nela ansiedade e insegurança, principalmente se isto ocorrer nos primeiros dias de aula.

Nestes casos, saber o que está acontecendo e o diálogo aberto e franco com a escola é primordial! Pois assim, pais, professora e equipe escolar, buscam juntos uma ação conjunta para sanar as possíveis dificuldades e desenvolver um bom trabalho.

Separação é algo que precisa ser entendido. Cada um tem um jeito diferente de lidar com as mudanças. Assim, é importante ainda lembrar que, os pais precisam respeitar a individualidade da criança, não insista para a criança ficar na escola, se ela ainda não está preparada para isto. A escola dever ser um lugar onde seja prazeroso para ela ficar, em que ela se sinta a vontade para brincar, conhecer, relacionar-se, enfim, viver e aprender com alegria. Caso contrário, a aprendizagem não acontece, e ao invés, de construir vínculos e desenvolver-se de maneira ampla e positiva, a criança estará adquirindo traumas e desenvolvendo bloqueios. Por isso, se depois de três semanas, a criança ainda apresentar momentos de choro e birra, demonstrar dificuldade e/ou rejeição para permanecer na escola sem a presença de um adulto da família, talvez seja necessário o adiamento do ingresso dela na escola por mais algum tempo.

Incentive e encoraje a criança a ir para a escola e JAMAIS fale mal da escola,  da professora e dos coleguinhas de classe, pois isso dificultará o estabelecimento do vínculo afetivo e o estreitamento da relação de amizade entre ambos Os pais têm papel fundamental nesta fase, tentando amenizar o medo dos pequenos dando segurança a eles para enfrentar esta nova etapa, demonstrando confiança na escola que escolheram para os filhos frequentarem.

Leve a criança para a escola com entusiasmo e tranquilidade. Assim a criança perceberá que ir para a escola é motivo de felicidade e alegria e não de sofrimento e dor!

A parceria ESCOLA e FAMÍLIA é o que garante o sucesso do processo ensino-aprendizagem! 

Por: Tuca Martins da Silva


2 comentários:

  1. Obrigada saber de uma educadora o que ocorre na realidade é de muita ajuda. Gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Patrícia! Bem vinda ao Blog Cantinho Educativo! Obrigada pelo feedback! Este espaço foi criado justamente para isto! Compartilhar experiências e ajudar professores! Volte sempre!!! Beijinhos!

      Excluir

Se você gostou do Blog, deixe um comentário! A sua opinião é muito importante para mim!
Ficarei muito feliz com o seu recadinho!
Mas antes de comentar, é preciso saber que:
😊 Seja educado (a)! Não xingue ou ofenda ninguém!
😊 Todos os comentários são moderados.
😊 Só serão publicados aqueles que respeitam as regrinhas abaixo:
✔ Comentários ANÔNIMOS não serão publicados;
✔ Comentários que contenham links ou spans não serão publicados;
✔ Comentários ofensivos ou com palavrões não serão publicados;
✔ O comentário dever estar relacionado com o assunto da postagem publicada, caso contrário, ele não será publicado.

Volte sempre! Este espaço é seu!!!